Síndrome de Ménière: saiba tudo sobre a doença da cantora Jessie J

 A cantora de 32 anos descobriu que sofria com a doença depois de acordar com fortes zumbidos no ouvido.




Às vésperas do Natal, a cantora Jessie J, de 32 anos, teve uma surpresa desagradável. Depois de acordar com zumbidos no ouvido e forte tontura, a britânica foi diagnosticada com síndrome de Ménière, uma doença crônica que se não for tratada pode levar à perda da audição.

A notícia foi divulgada pela própria cantora em uma transmissão ao vivo. Segundo informações, a vertigem foi tão intensa que ela ficou “sem conseguir andar em linha reta” antes de ir para o hospital, onde ficou até o dia 25. 

A síndrome de Ménière é uma doença rara, e no Brasil afeta cerca de 150 mil pessoas por ano. Embora não tenha cura, pode ser controlada, melhorando a qualidade de vida dos pacientes.


Atenção:
Para ter o diagnóstico correto dos seus sintomas e fazer um tratamento eficaz e seguro, procure orientações de um médico ou farmacêutico.


Causas da síndrome de Ménière

Também conhecida como hidropsia endolinfática, a síndrome de Ménière caracteriza-se pelo aumento da pressão da endolinfa dentro do ouvido.

A endolinfa é um líquido presente dentro do labirinto, que é responsável pelos sinais elétricos emitidos ao cérebro que nos proporciona equilíbrio e a movimentação no espaço.

Há muitas possibilidades para a ocorrência da síndrome de Ménière. De acordo com o Ministério da Saúde, destacam-se:

  • Infecções;
  • Traumas cranianos;
  • Enxaqueca;
  • Alterações do sistema imunológico;
  • Variações anatômicas do ouvido interno ou predisposição genética

Como a síndrome de Ménière provoca um aumento de pressão da endolinfa, esses sinais enviados ao cérebro ficam mais imprecisos. E assim, desencadeiam uma séries de sintomas, que podem ser até mesmo debilitantes casos mais severos.

A doença costuma afetar principalmente indivíduos na faixa dos 40 a 50 anos. Entretanto, também pode ocorrer em outras faixas etárias, inclusive na infância.

Sintomas

Presentes durantes as crises, os sintomas mais comuns da síndrome de Ménière são:

  • Vertigem;
  • Zumbido no ouvido;
  • Náuseas e vômitos;
  • Diminuição ou perda da audição.

De forma geral, essa síndrome costuma afetar apenas um dos ouvidos. Entretanto, também pode acometer os dois. A gravidade dos sintomas varia de caso a caso.


Em alguns pacientes, a sensação de tontura pode ser mais intensa, incapacitando-os a realizar qualquer tipo de atividade. Já em outros casos, quadros de náuseas e vômitos também ocorrem durante períodos mais longos.  

Tratamentos para a síndrome de Ménière

Embora seja uma doença crônica, atualmente já se conhecem diversos tratamentos medicamentosos para a síndrome de Ménière.

Esses visam, principalmente, controlar os sintomas. E assim, reduzir a frequência dos ataques de vertigem e a sensação de zumbido no ouvido.

Mas além disso, os tratamentos também tentam impedir a progressão da doença, com foco especial na perda da audição e no equilíbrio. No entanto, os melhores resultados são observados em pacientes encaminhados precocemente para um médico otorrinolaringologista.

Vale ressaltar que somente um médico poderá indicar qual é o medicamento mais indicado para o tratamento, bem como a dosagem e a duração do tratamento.

Além do tratamento medicamentoso, alterações no estilo de vida também são importantes para controlar a síndrome. Como por exemplo, diminuir o consumo de alimentos ricos em cafeína e sal, e evitar álcool e nicotina.

De acordo com dados do Ministério da Saúde, após 8 anos, mais de 70% dos pacientes encontram-se definitivamente livre dos sintomas. O problema é que, após tantos anos, muito acabam por desenvolver perdas parciais, mas permanentes, da audição e do equilíbrio.

Postar um comentário

0 Comentários