Resumo

Em todas as relações sexuais é importante que você se proteja de gravidez indesejada ou doenças transmissíveis sexualmente. Veja que medidas tomar se você mantiver relações sexuais sem se proteger ou em caso de estupro.

Passos


1

Se você foi estuprada, procure imediatamente um pronto-socorro ou um serviço de apoio a mulheres vítimas de violência sexual sem se higienizar. Assim será possível colher amostras de sêmen para identificar o agressor (mesmo que você o conheça, esse exame é que poderá comprovar a identidade dele perante a Justiça). Colabore em tudo o que for possível com o profissional que examinar você, respondendo as perguntas sincera e claramente.

2

Se você mantiver relações sexuais sem se proteger ou se o preservativo rasgar ou sair durante a relação, procure um médico em no máximo 72 horas. Você pode recorrer ao seu ginecologista ou a um infectologista, ir a um pronto-socorro ou a algum centro médico especializado.

3

Dependendo do tipo de exposição sexual (com ou sem violência; com ou sem ejaculação, penetração vaginal, anal ou oral), das informações que você tiver sobre o parceiro (portador de HIV, hepatite B ou C, outra doença sexualmente transmissível, como gonorréia, sífilis, tricomoníase) e do tempo entre o ato sexual e a consulta, o médico decidirá se você deve tomar alguma medicação. Pode ser uma medicação para combater a possibilidade de contágio de HIV, sífilis, gonorréia ou tricomoníase, ou ainda uma vacina contra a hepatite B. Ele vai avaliar também a necessidade de tomar vacina antitetânica ou um reforço, se você já foi vacinada.

4

Se a consulta com o médico ocorrer dentro das 72 horas após a relação, dependendo do caso e se você estiver de acordo com o método, existe a possibilidade de tomar um anticoncepcional de emergência (a chamada "pílula do dia seguinte").

5

Dentro do possível, procure fazer uma consulta junto com o seu parceiro, para que os dois possam ser examinados.

6

É muito importante não manter relações sexuais até ter certeza de que não existem riscos de contágio de nenhuma doença sexualmente transmissível.

7

Depois da primeira consulta, você deve fazer check-ups periódicos com o seu médico e repetir a cada seis meses os exames de sangue para comprovar que não contraiu os vírus do HIV, da hepatite B ou da hepatite C.

Importante

  • Embora não exista unanimidade sobre o risco de contágio em cada tipo de atividade sexual, o maior é em receber penetração anal com ejaculação. Depois vêm as penetrações vaginais, com ou sem ejaculação, a penetração anal sem ejaculação, a penetração anal-vaginal e sexo oral com ejaculação.
  • Nas agressões sexuais, o risco costuma ser maior devido à possibilidade de ferimentos anais ou genitais.
  • Peça ao seu médico indicações por escrito de medicações e cuidados a tomar, além da data da próxima consulta.
  • Se o seu médico receitar um remédio, peça informações a ele sobre os efeitos colaterais e como tomá-lo. Não suspenda a medicação indicada sem antes consultar o profissional que a prescreveu.
  • Se você tiver febre, gânglios inflamados, dor de garganta, erupção no corpo, dores musculares, dor de cabeça ou diarréia, consulte imediatamente o seu médico e conte que você manteve relação sexual sem se proteger com preservativo.

Postar um comentário:

0 comments: